Blog Parceiro:Minha Melhor Versão

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Tem gente que prefere ser lagarta a borboleta



Tem gente que prefere ser lagarta a borboleta
Passar por transformações e mudanças não é um processo fácil para a grande maioria, mesmo que saibamos que isso pode ser para melhor. Mudar assusta, o novo dá medo e se essa transformação for interna então... é melhor nem comentar não é?!!
Mas falar é preciso, assim como mudar...afinal o que seria da humanidade se outros não tivessem optado pela mudança. Augusto Cury conta que necessitou passar por uma grande transformação interna para chegar onde chegou, de segunda nota mais baixa da classe a criador de uma teoria discutida em diversos países do mundo. Que mudança!
Toda mudança traz benefícios e gera oportunidades. A vida muda, quando você muda, já dizia Luís Fernando Verissimo, e para crescer precisamos mudar.
Toda mudança implica em perda, você perde o velho e ganha o novo, mas você perde. E se tem dificuldades com perdas, mudar é um processo doloroso. Mas não deveria, já que haverá um ganho. Sempre. Essa mudança que tanto te assusta, é a mesma que te fará crescer. Isso é fato.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Quando as máscaras caem



Quando as máscaras caem
E quando as máscaras caem, e quando as faces se tornam expostas, as almas desnudas transparecem e a real intenção do ser se apresenta. E quando não há mais como justificar, amenizar, e quando não dá mais para tentar não ver.
Não ver o outro, não ver o que você projetava nele, almejava nele, acreditava nele, quando não dá mais para não deixar de ver que o outro não era quem você pensava, esperava, almejava, amava. E quando encarar a realidade do outro é a única alternativa. Isso dói, incomoda, irrita, é como as fases do luto: vem a negação de que aquilo é verdade. Tentamos voltar a não ver, inútil. Passamos então para a raiva, como aquela pessoa tão querida pode te trair, trair sua confiança, trair tudo aquilo que você depositou nela? Como? Daí tentamos negociar...ah talvez não seja tanto assim se eu tapar um olho eu não verei tudo assim tão feio, como está agora, não é? É, é ai que caímos na depressão, pois, não dá para voltar atrás a máscara já caiu, a realidade já está ali te encarando e você pode até tentar mais fugir não será a solução, sendo assim chegamos ao estágio ‘final’ a aceitação. Aceitar que aquela é a sua nova realidade perante aquela ou aquelas pessoas. Esta é ela de verdade. E ainda dentro deste processo de luto, cabe a você e somente a você decidir o que fazer com isso.

domingo, 15 de abril de 2018

A lição que aprendi


A lição que aprendi

Se você tem filhos sabe que eles nos ensinam muito constantemente, quem dera parássemos para ouvi-los sempre, pois com toda certeza, eles tem muito mais a nos ensinar do que nós a eles... você já parou para ouvir o som contagiante que é a risada de seu filho ao se sentir voando no balanço de um parque, o meu filho me fez sentir isso um dia desses, o quanto o simples, pode ser mágico, o quanto menos é realmente mais e como a simplicidade traz em si a delicadeza da plenitude. Se você não os têm, vá num parque e ouça o som das crianças, o quanto eles contagiam apenas com um sorriso, observe seus comportamentos, suas atitudes, reflita e aprenda, você definitivamente, não irá se arrepender.
O simples os encanta. Pena que perdemos essa capacidade. Passamos a querer mais e mais. E para quê, se no final é na simplicidade do sorriso que somos plenamente felizes.
Como disse um dia desses meu filho me ensinou exatamente isso, e também, que preciso evoluir um pouco mais (muito mais).

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Gratidão!






Há muito tempo que tenho o desejo de escrever sobre a gratidão, essa palavra parece que virou moda,  tenho visto em diversas redes sociais, camisetas, cartazes e por aí vai, mas espero que como tudo que se torna moda um dia cai de moda, isso não aconteça com a gratidão.
Disse que faz tempo que quero escrever mas não conseguia, era uma palavra, um sentimento tão bonito, porém nada me passava pela mente para escrever, até que ontem ouvi uma frase da Clarice Lispector “Até onde posso vou deixando o melhor de mim...Se alguém não viu, foi porque não me sentiu com o coração. “. Primeiro essa frase me emocionou sem nenhuma reflexão, sabe aquela frase que te dá vontade de chorar e você nem sabe ao certo porque. Depois comecei a pensar sobre ela e fiquei um pouco triste, devo confessar, porque comecei a lembrar das tantas e tantas vezes que deixei esse meu melhor, que fiz esse melhor e ele não foi reconhecido, não houve uma retorno, um agradecimento, nada, ele passou em branco, pensei... de que valeu o esforço.
Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo