Blog Parceiro:Minha Melhor Versão

terça-feira, 22 de novembro de 2016

PRINCÍPIO DO VÁCUO (Joseph Newton)

PRINCÍPIO DO VÁCUO (Joseph Newton)


Você tem o hábito de juntar objetos inúteis neste momento, acreditando que um dia, não sabe quando, poderá precisar deles?Você tem o hábito de juntar dinheiro só para não gastá-lo, pois no futuro poderá fazer falta?
Você tem o hábito de guardar roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos e outros tipos de equipamentos que já não usa há um bom tempo? E dentro de você?
Você tem o hábito de guardar mágoas, ressentimentos, raivas e medos?

Não faça isso. É anti prosperidade.É preciso criar um espaço, um vazio, para que as coisas novas cheguem em sua vida.
É preciso eliminar o que é inútil em você e na sua vida, para que a prosperidade venha.
É a força desse vazio que absorverá e atrairá tudo o que você almeja.
Enquanto você estiver material ou emocionalmente carregado de coisas velhas e inúteis, não haverá espaço aberto para novas oportunidades.
Os bens precisam circular.
Limpe as gavetas, os guarda-roupas, o quartinho lá do fundo, a garagem. 
 
Dê o que você não usa mais. Venda, troque, movimente e não acumule.
Dê espaço para o novo.
A atitude de guardar um monte de coisas inúteis amarra sua vida. Não são os objetos guardados que emperram sua vida, mas o significado da atitude de guardar.
Quando se guarda, considera-se a possibilidade da falta, da carência. 

É acreditar que amanhã poderá faltar, e você não terá meios de prover suas necessidades.
Com essa postura, você está enviando duas mensagens para o seu cérebro e para a vida:
  
Primeira: Você não confia no amanhã e; 
Segunda: Você acredita que o novo e o melhor não são para você, já que se contenta em guardar coisas velhas e inúteis. O princípio de não acreditar que o melhor é para você, pode se manifestar, por exemplo, na conservação de um velho e inútil liquidificador. Esse princípio, expresso num objeto, denota um comportamento que pode também estar presente em outras áreas da sua vida, gerando entraves ao sucesso e à prosperidade.  
O simples fato de dar para alguém o velho liquidificador, colocando o objeto em circulação, cria um vácuo para que algo melhor ocupe o espaço deixado.
Emocionalmente, também.
 
Você passa a acreditar que o novo compensará o objeto doado.
Gente, uma faxina básica, apesar da trabalheira e do cansaço que provoca, ao final é sempre bem vinda. Arejar espaços, fora e dentro da gente faz um bem enorme!
 
Desfaça-se do que perdeu... a cor e o brilho e deixe entrar o novo em sua casa e dentro de você!
As pessoas são solitárias porque constroem paredes ao invés de pontes.”Essa última passagem é perfeita. Pessoas solitárias constroem paredes, quando deveriam construir pontes para obterem ligações com seus semelhantes… É óbvio, porém, poucos colocam em prática, parece-me que alguns têm medo de ser solidários, enquanto outros, medo da solidariedade.






sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Uma vez uma colega me disse ...

Uma vez uma colega me disse que não via motivos para voltar a estudar ou fazer cursos, afinal já estava numa “certa idade”. Bem, não vou dizer aqui a idade dela, mas ela já havia adentrado a casa dos “entas”. Na época eu acabei concordando com ela. Não tinha argumentos e na verdade, achava que realmente ela não deveria estudar, buscar conhecimento, se já estava com a tal “certa idade”.
Hoje definitivamente não vejo mais assim. Não somente porque abri meus olhos para a luz da espiritualidade que entende essa vida como uma passagem e onde o que aprendemos levamos sim conosco por toda nossa existência, seja aqui ou em outro plano ou até outras vidas.
O certo é que, não concordo mais com o que minha colega disse, principalmente, porque a vida é como um rio que flui e não pára, e a cada local que passa, por todo o seu leito, refaz suas energias, torna-se mais forte ou fraco conforme o correr da correnteza, conforme os obstáculos pelo caminho e sendo assim, porquê não aprender, se renovar em cada parada.
Aprender é tão prazeroso, porque se privar disso? Aprender abre horizontes, porque se limitar?
Então amiga, se hoje estiver lendo estas linhas, somente lhe digo 'não’ eu não concordo mais com isso. Se você tem esse desejo, deixe ele fluir, deixe a correnteza de novos conhecimentos tomar conta de seu ser plenamente, jogue-se nesse rio até que ele desemboque no mar e não pare. Adentre esse mar de renovações e avance mais e mais... jamais pare por obstáculo algum, porque a vida não costuma fazer paradas, às vezes ela só muda de sentido, e te joga para outra margem do rio. E nunca se sabe o que pode haver do lado de lá!

Quais são os seus motivos para não sonhar?


Quais são os seus motivos para não sonhar?
Por que nos limitamos ao básico, ao trivial? Arroz com feijão é bom, mas, às vezes, um sanduba de almoço ajuda a encarar a vida com mais ânimo.
Vamos imaginar que você ganhou um prêmio da vida ... ganhou o direito de realizar um sonho ...o que você diria para a vida? Você tem esse sonho? Ou teria que parar para pensar? Você teria coragem de dizer qual é este sonho? Teria coragem de vivê-lo? Por que deixamos de sonhar? Por que não acreditamos em nossos sonhos?

Todos falam em viver seus sonhos, correr atrás dos sonhos, mas por que para a grande maioria isso parece impossível. Eu, por exemplo, já tive diversos sonhos dos quais hoje nem me lembro, pelo menos não de todos, a grande maioria se perdeu quando cresci ...fui trabalhar  e estudar …. estudar para realizar um sonho e ele se perdeu pelo caminho (estranho né) e na verdade isso aconteceu sem que eu percebesse, como se fosse natural deixar de sonhar, mas principalmente de tentar realizá-los (ao menos tentar).
E quando paro pra pensar o que aconteceu...Bem, comigo foi que deixei de crer em mim, deixei de acreditar que merecia este ou aquele sonho mesmo os menores, os mais fáceis, nenhum sonho cabia na minha agenda, não dava ... melhor deixar para amanhã...para depois… quando der...nunca mais... Cai na rotina e me esqueci de viver. Eu estava sobrevivendo. Veio também, algumas decepções, fracassos e deixei tudo isso ser maior que os sonhos.
Um dos sonhos que coloquei de lado, até esquecer foi o de escrever. Até arrisquei uma vez, mas como “Não tinha tempo” e nem dinheiro, ele foi esquecido.  Hoje percebo que tive medo. Medo da rejeição, medo de não dar certo, medo de tentar, medo de... enfim, medo de tudo. Era mais fácil me esconder atrás do tempo... da falta dele.
O tempo. É ele o seu inimigo? Creio que não. Talvez a rotina, falta de fé, falta de coragem, falta de sonhos…
Cada um tem uma desculpa, isso mesmo d-e-s-c-u-l-p-a...porque não há nada que nos impeça de nada, a não ser nós mesmos.
Mas a questão financeira não pesa? Sim, falta de dinheiro pode ser um bom oponente…. mas não uma barreira. Realize primeiro os sonhos que não precisa de dinheiro (eu estou escrevendo num blog gratuito) depois que sentir o gosto do sonho realizado, creio que dinheiro vai ser um oponente que precisa ser desafiado e vencido, mas não uma barreira intransponível.
Vai ser fácil? Sinceramente não sei, para mim não foi, não é, mas depois que rompi essa barreira ou melhor venci meu oponente uma primeira vez...Ah! amigo,  ninguém me segura...escrever já estou escrevendo...os outros, os esquecidos, estou tratando de correr atrás, até dos que ainda nem sonhei. E quando chegar lá, daí eu conto. A única certeza que tenho é que vale a pena. É uma sensação incrível que só nós, os sonhadores (e realizadores ou talvez desafiadores) podemos descrever, na verdade não podemos descrever, só sentir. É a plenitude. É a total falta de palavras.
O medo ele ainda existe, por vezes eu o sinto me rondando, mas agora ele já não me assusta tanto, resolvi que ele faz parte de todo o processo e aprendi a conviver com ele. A não me envolver com ele, estou me relacionando com o novo com o desconhecido, e o medo não gosta disso , acho que ele tem medo (rs). Enfim, ele só espreita e nada mais.
Meus sonhos hoje são maiores do que meus medos...eu sou maior!
E você tem sonhado ultimamente? Me conta aí.


terça-feira, 15 de novembro de 2016

A mensagem da semana é...

Você não faz a diferença para ninguém se não fizer para si mesmo. Trate-se como você trataria um grande Amor.


Roberto Shinyashiki
Oração metafísica da cura:


Eu sou amor.
Eu sou saúde.
Eu sou paz.
Eu mereço ser amado.
Eu mereço ser feliz.
Eu mereço ser saudável.
Hoje começa a cura do meu corpo, mente e espírito.

Eu me perdoo pelos erros que cometi, porque eu não sou culpado de nada - eu não pude nem soube agir de outra forma naquele momento.

Eu perdoo todas as pessoas que senti raiva e aceito-as porque não podiam ser como eu queria.
Eu as liberto e liberto-me do sentimento de rancor para sempre.

Cancelo completamente o passado no presente, para libertar o meu futuro.

Deixo de julgar a mim e aos os outros para sempre.

Entrego neste momento toda a minha dor, todos os meus erros para ti ó Deus Pai Todo Poderoso, para que transforme tudo em amor, saúde e paz.

Pelo seu poder divino e amor dentro de mim, eu decido curar o meu corpo, a minha mente e a minha alma.

Abro o meu coração para o seu amor puro que me envolve com a sua luz radiante, revitalizando cada célula do meu corpo e cada pensamento negativo, convertendo-os em positivos, recriando-me numa nova vida cheia de amor e alegria.

Eu desejo com todo o meu coração esta cura, para então ajudar a curar os outros e, assim, cumprir a minha missão de amor nesta vida.
Que assim seja!
Assim É
Amém

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

A Perda de Energia Pessoal

A perda de energia pessoal pode ser manifestada de várias formas, tais como:

  • falha de memória (o famoso 'branco');
  • cansaço físico: o sono deixa se ser reparador;
  • ocorrência de doenças degenerativas e psicossomáticas;
  • prosperidade e a satisfação diminuem - os talentos não se manifestam mais por falta de energia, o magnetismo pessoal desaparece;
  • medo constante de que o outro o prejudique, aumentando a competição;
  • individualismo e a agressividade;
  • falta proteção contra as energias negativas;
  • maior risco de sofrer com o 'vampiro energético'.

Conheça cada dessas ações para evitar a 'crise energética pessoal'.
 
1. Maus hábitos, falta de cuidado com o corpo - Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer são sempre colocados em segundo plano. A rotina corrida e a competitividade fazem com que haja negligência em relação a aspectos básicos para a manutenção da saúde energética.
 
2. Pensamentos obsessivos - Pensar gasta energia, e todos nós sabemos disso. Ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho físico. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos - mal comum ao homem ocidental, torna-se escravo da mente e acaba gastando a energia que poderia ser convertida em atitudes concretas, além de alimentar ainda mais os conflitos. Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar as energias, enquanto o pessimismo consome energia e atrai mais negatividade para nossas vidas.
 
3. Sentimentos tóxicos - Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas. Isso acontece quando a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade é gasta na manutenção de sentimentos negativos. Medo e culpa também gastam energia, e a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos, 'como a amizade, o amor, a confiança, o desprendimento, a solidariedade, a auto-estima, a alegria e o bom-humor recarregam as energia e dão força para empreender nossos projetos e superar os obstáculos.
 
4. Fugir do presente - As energias são colocadas onde a atenção é focada. O homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis: 'bons tempos aqueles!', costumam dizer. Tanto os saudosistas, que se apegam às lembranças do passado, quanto àqueles que não conseguem esquecer os traumas, colocam suas energias no passado. Por outro lado, os sonhadores ou as pessoas que vivem esperando pelo futuro, depositando nele sua felicidade e realização, deixam pouca ou nenhuma energia no presente. E é apenas no presente que podemos construir nossas vidas.
 
5. Falta de perdão - Perdoar significa soltar ressentimentos, mágoas e culpas. Libertar o que aconteceu e olhar para frente. Quanto mais Perdoamos, menos bagagem interior carregamos, gastando menos energia ao alimentar as feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer seus caminhos livres, abertos para a felicidade. Quem não sabe perdoar os outros e si mesmo, fica 'energeticamente obeso', carregando fardos passados.
 
6. Mentira pessoal -Todos mentem ao longo da vida, mas para sustentar as mentiras muita energia é gasta. Somos educados para desempenhar papéis e não para sermos nós mesmos: a mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, o mártir e o intelectual. Quando somos nós mesmos, a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço.
 
7. Viver a vida do outro - Ninguém vive só e, por meio dos relacionamentos interpessoais, evoluímos e nos realizamos, mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individualidade. Esse equilíbrio nos resguarda energeticamente e nos recarrega. Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do que é recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria vida. O único prêmio, nesse caso, é a frustração.
 
8. Bagunça e projetos inacabados - A bagunça afeta muito as pessoas, causando confusão mental e emocional. Um truque legal quando a vida anda confusa é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa e os documentos, além de fazer uma faxina no que está sujo. À medida que ordenamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem nossa mente e coração. Pode não resolver o problema, mas dá alívio. Não terminar as tarefas é outro 'escape' de energia. Todas as vezes que você vê, por exemplo, aquele trabalho que não concluiu, ele lhe 'diz' inconscientemente: 'você não me terminou! Você não me terminou!' Isso gasta uma energia tremenda. Ou você a termina ou livre-se dela e assuma que não vai concluir o trabalho. O importante é tomar uma atitude. O desenvolvimento do autoconhecimento, da disciplina e da determinação fará com que você não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas consumirão seu tempo e energia.
 
9. Afastamento da natureza - A natureza, nossa maior fonte de alimento energético, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energia. A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados em suas energias vitais.
 
 
Divulgue essas dicas para o maior número de pessoas possível e mentalize que, quando todos colocarem essas regras em prática, o mundo será mais justo e mais belo. Vamos tentar melhorar nossa energia pessoal. Atitudes erradas jogam energia pessoal no lixo. *


sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Corte de Etain


Tem um conto irlandês chamado "Corte de Etain", o deus Miter se casa pela segunda vez com uma deusa chamada Etain. Por ciúmes de sua primeira esposa, transforma-a numa poça de água. Após algum tempo, a poça dá vida a uma lagarta que se transforma numa linda borboleta. Mider e Engus (filho de Dagda) recolhem a lagarta e a protegem. "E essa lagarta se torna em seguida uma borboleta púrpura.(...) era a mais bela que já ouve no mundo. O som de sua voz e o bater de suas asas eram mais doces que as gaitas de foles, as harpas e os cornos. Seus olhos brilhavam como pedras preciosas na obscuridade. Seu odor e seu perfume faziam passar a fome e a sede a quem quer que estivesse cerca dela. As gotículas que ela lançava de suas asas curavam todo o mal, toda doença e toda peste na casa daquele de quem ela se aproximava." 

O simbolismo é o da borboleta, o da alma liberta de seu invólucro carnal, transformada em benfeitora e bem-aventurada. 

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

O PRIMEIRO PASSO


Meu primeiro passo foi buscar entender o que poderia significar o aparecimento de borboletas em diversos momentos da minha vida...

A primeira vez que notei essa presença das borboletas, que considero a primeira vez efetivamente em que elas se mostraram especiais, foi no dia do nascimento de meu filho, após um parto difícil onde temi por minha vida e de meu filho, quando tudo se acalmou e ele nasceu bem e com saúde, ainda na sala de parto, apesar do cansaço, percebi uma grande borboleta marrom voando dentro da sala
estranhei o fato, mas estava tão cansada, que nem sequer comentei com ninguém. 
Estava ainda no hospital me recuperando do parto, quando mais a noite fui buscar meu filho na UTI para ficar comigo no quarto, lá outra borboleta marrom, porém menor que a anterior, nos acompanhou da UTI até o quarto. Isso mais uma vez me pareceu estranho, no entanto havia outras coisas com que pensar naquele momento, afinal de contas havia recebido em meus braços o amor da minha vida pela primeira vez. 
Meu filho nasceu três dias após o falecimento de meu pai, e por diversas vezes associei a presença das borboletas a algo relacionado a ele(meu pai), uma mensagem, um demonstração de carinho ou algo do tipo.
Em outra ocasião, havia passado quase um ano do falecimento de meu pai, e minha mãe se demonstrava um pouco depressiva, e eu e minhas irmãs resolvemos fazer uma festa de aniversário, pois ela faria 60 anos. E assim fizemos, a festa teve como tema os Anos 60, a decoração era toda de bolinhas preta e branco, a festa correu bem todos se divertiram muito, ao final da festa quando limpávamos o salão puxei um dos cartazes e na janela me deparei um uma pequena e delicada borboleta preta com bolinhas brancas, aquilo me emocionou muito mas mais uma vez não busquei entender o por que daquilo.
Em outras ocasiões elas estiveram presentes, até chegar a esta da mochila que relatei no por que da existência deste blog. E foi somente ai que fui buscar o significado do aparecimento das borboletas.

Primeiro me deparei com esta lenda da borboleta azul, que já traz um significado muito bonito de vida, onde
nosso presente e futuro estão exclusivamente nas nossas mãos. Nunca devemos culpar os outros se alguma coisa falhar. Se perdemos ou se ganhamos  nós somos os únicos responsáveis.
A borboleta azul representa as nossas vidas. Só depende de nós criar a vida ou condená-la.

Outra significado está na sua própria existência...Enquanto voa de uma flor a outra, ao procurarem alimento, as borboletas fertilizam as flores. Essa polinização ajuda na reprodução das plantas. Ou seja, o papel delas na natureza, é de fundamental importância, mesmo sendo tão pequena e tão frágil, e com um tempo de vida tão breve, elas deixam sua marca no mundo,geram vida para aqueles que ficam após sua partida e fazem do seu existir algo de grande importância para todos.

Há ainda a metamorfose das borboletas que é simbolizada como: a crisálida é o ovo que contém a potencialidade do ser. A borboleta que sai dele é um símbolo de ressurreição(transformação)
Os estágios desse inseto (lagarta, crisálida e borboleta) significam respectivamente vida, morte e ressurreição, ou seja, a metamorfose.
Metamorfose,esta, portanto, da transformação que os seres humanos passam ao longo da vida, não só física (crescimento), como sociais (mudança de trabalho, nascimento, casamento, entre outros). A borboleta  é por muitos considerada símbolo da sorte.


A borboleta é o símbolo do renascimento para a psicanálise moderna, que é representada com asas de borboleta.
Na mitologia grega, a personificação da alma é representada por uma mulher com asas de borboleta. Segundo as crenças gregas, quando alguém morria, o espírito saía do corpo com forma de borboleta.
No Japão, a borboleta é o símbolo da gueixa e representa a figura feminina, visto que está associada à gentileza e graciosidade.
Ainda são vistas como espíritos viajantes, e quando aparecem anunciam uma visita ou a morte de uma pessoa próxima.
Para os astecas e os maias, a borboleta simbolizava o deus do fogo Xiutecutli (conhecido também por Huehueteotl). Esse deus levava como emblema um peitoral chamado "borboleta de obsidiana", o qual simbolizava a alma ou o sopro vital que escapa da boca de quem está morrendo.
Na mitologia irlandesa, a borboleta simboliza a alma liberta de seu invólucro carnal, da mesma maneira que na simbologia cristã. Enfim, cada cultura, expressa uma significação, mas todas se assemelham quando tratam da borboleta como um ser que traz algo de bom, traz renovação.


E há ainda os que fazem referencia ao significado das cores das borboletas, contudo são diversas as teorias e cada uma dá uma significação para as cores.

O que realmente importa, é o significado maior de vida, esperança e paz que elas trazem. Quem nunca olhou para o voo de uma borboleta e sentiu paz, e se você nunca pensou nisso da próxima vez que ver uma borboleta reflita sobre isso. Como um ser aparentemente tão insignificante,
possa ser portador de tantos significados e importância no mundo.

Fonte: http://www.dicionariodesimbolos.com.br/borboleta/

POR QUE ESTE BLOG EXISTE...

POR QUE ESTE BLOG EXISTE...

Há algum tempo atrás iniciei minha Jornada Espiritual, jornada que considero um despertar (um retorno ao lar, um lugar conhecido mas que estava esquecido), e tudo começou assim com o Pouso de uma Borboleta em mim.
Estava saindo (tentando sair) de uma fase ruim, por motivos pessoais, onde minha fé estava abalada, fé em Deus e fé em mim mesma, e um belo dia retornando do trabalho para casa senti um puxão por trás em minha mochila, quando me virei imaginando encontrar algum conhecido ou até mesmo desconhecido, mas para minha surpresa, vi apenas uma borboleta negra levantar voo, ela pousou na mochila e conforme me virei ela levantou voo. Não havia ninguém por perto e não havia como alguém ter corrido ou se escondido, pois este pedaço de terreno está em reforma e a sua volta há apenas tapumes.
Não era a primeira vez em que uma borboleta surgia em minha vida em algum momento, fosse bom ou ruim, e este fato se tornou mais especial por isso.
Para muitos isso significaria nada, para outros apenas uma grande coincidência, para mim foi minha salvação, pois quis entender aquilo, quis saber o que poderia significar e foi o que fiz ... Fui buscar respostas.
Estou ainda na busca dessas respostas e acredito que muitos por ai também estejam,  e recentemente passei por um outro grande momento de desespero, com a saúde de meu filho, e foi neste momento que surgiu em mim essa necessidade que depois virou vontade de compartilhar o que li, o que aprendi, o que pude entender e descobrir até aqui. 
Então o que proponho a vocês e a mim mesma é isso... vamos trilhar nossos caminhos, despertar nossos corações e ir de encontro com os desejos de nossa alma, que são a janela para encontrarmos a nós mesmos e para quem acredita num Ser Superior como eu acredito, para ir de encontro com DEUS( ou qualquer que seja o nome que você dê). Que descobri recentemente está mais próximo do que pensamos. 
Vamos iniciar nosso despertar...

A Lenda da Borboleta Azul



Esta lenda oriental da borboleta azul conta que muitos anos atrás um homem ficou viúvo e teve que se responsabilizar por suas duas filhas.

As duas meninas eram muito curiosas, inteligentes e sempre tinham desejo de aprender. Constantemente lançavam perguntas ao pai para satisfazer a sua fome pelo saber. Às vezes seu pai conseguia responder com sabedoria, mas em muitos casos as perguntas de suas filhas o impediam de lhes dar uma resposta correta ou convincente.

Vendo a inquietação das duas meninas, ele decidiu enviá-las de férias para conviver e aprender com um sábio, que vivia no topo de uma colina. O sábio era capaz de responder a todas as perguntas que as pequenas lhe lançavam, sem sequer titubear.

Contudo, as duas irmãs decidiram fazer uma armadilha ao sábio para medir a sua sabedoria. Certa noite, ambas começaram a idealizar um plano: propor ao sábio uma pergunta que ele não fosse capaz de responder.

– Como poderemos enganar o sábio? Qual pergunta poderíamos lhe fazer que ele não seria capaz de responder? – perguntou a irmã menor à mais velha.

– Espere aqui, já vou lhe mostrar – disse a mais velha.

A irmã mais velha saiu pelo morro e regressou após uma hora. Tinha o seu avental fechado feito um casaco, escondendo alguma coisa.

– O que você tem ai? – Perguntou a irmã menor.

A irmã mais velha colocou sua mão no avental e mostrou a menina uma bela borboleta azul.

– Que maravilha! O que você vai fazer com ela?

– Esta será a nossa arma para fazer a pergunta - armadilha ao mestre. Iremos procurá-lo e vou esconder esta borboleta na minha mão. Então perguntarei ao sábio se a borboleta que está na minha mão está viva ou morta. Se ele responder que está viva, apertarei a minha mão e a matarei. Se responder que está morta, a deixarei livre. Portanto, qualquer que seja a sua resposta, a sua resposta sempre estará errada.

Aceitando a proposta da irmã mais velha, as meninas foram procurar o sábio.

– Mestre – disse a mais velha – Pode nos dizer se a borboleta que está na minha mão está viva ou morta?

O sábio respondeu com um sorriso maroto: 
“Depende de você, ela está nas suas mãos”
Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo